Histórias que inspiram: conheça Ana Clara Arruda

Histórias que inspiram: conheça Ana Clara Arruda

Aluna no CEF 5 de Taguatinga fica em 2º lugar no Concurso de Redação da CRET

Ana Clara Arruda Araújo tem 13 anos, é aluna do 8º ano do Centro de Ensino Fundamental 5 de Taguatinga e encontrou na leitura um caminho para a saúde mental.

Apesar de jovem, Aninha, como é chamada pela família, é muito madura, como conta sua mãe Salete Mendes Arruda, professora há 24 anos da Secretaria de Educação do Distrito Federal. “Quando ela chegou no primeiro ano, já sabia ler. Aos 6 anos de idade já se arrumava sozinha para ir pra escola e preparava o próprio lanche. Ela amadureceu muito rápido, mas nunca perdeu a doçura”, declara orgulhosa.

Com essa maturidade e o apreço pela leitura, Aninha ficou em segundo lugar no 2º Concurso de Redação da Coordenação Regional de Ensino de Taguatinga, que esse ano trouxe o tema “Saúde mental em tempos de pandemia”.

Ao todo, foram 15 escolas inscritas nas 7 categorias, sendo: desenho, carta, poema, memória literária, crônica, conto e relato de experiência. Participaram estudantes da educação infantil até o ensino médio, além de profissionais da educação, estes últimos que puderam relatar suas práticas pedagógicas ao longo do ano com os estudantes, trabalhando um tema tão presente e marcante na vida de todos.

O Concurso de Redação da CRET teve início em 2019 junto aos servidores atuantes das bibliotecas escolares de Taguatinga. Este ano, juntamente com o Serviço Especializado de Apoio à Aprendizagem (SEAA), a ação envolveu todas as demais equipes da Unidade Regional de Educação Básica – UNIEB de Taguatinga.

Aninha ficou sabendo do concurso pela mãe e contou com o incentivo da coordenadora Cristiane Navarro que a auxiliou para inscrição no concurso.

A jovem, que participou na categoria crônicas, reconheceu no concurso uma grande oportunidade de expressar sua escrita, antes lida apenas pela mãe e professores com outros alunos, das mais diversas idades e que tinham em comum o interesse por escrever.

Para Aninha, saúde mental é se sentir bem consigo mesmo e saber lidar com as adversidades impostas pela vida. Adversidades essas que se mostram muito presentes e desafiadoras na fase que ela tem vivido. “A adolescência é uma fase caracterizada pelo amadurecimento, pelas descobertas, dificuldades e desafios. Sendo assim, o pensar em desistir de nossas metas, muitas vezes, pode tomar conta de nosso pensamento. Mas devemos nos opor a isso, enfrentando as adversidades com sabedoria e paciência, sabendo que, mais cedo ou mais tarde, passará e você será recompensado de alguma forma, com certeza. Todo estudo, todo esforço, toda perseverança tem o seu valor”, afirma a jovem com muita maturidade e convicção.

Homenagem e reconhecimento

Na última sexta-feira (3), com apoio da escola e de sua mãe, a equipe do Projeto Aprender ComUnidade preparou uma surpresa para Aninha. A jovem foi surpreendida em sala de aula e ganhou um presente da equipe, que contou com a presença de professores e de sua mãe, que na oportunidade homenageou a filha e declarou todo seu amor a ela.

Para Josália Luso, diretora do CEF 5, a presença do Aprender ComUnidade na escola é um grande presente. “Vocês fazem com que consigamos ver que o nosso trabalho reflete nos resultados. Na correria do dia a dia nem sempre percebemos que está dando frutos” declara.

Aprender ComUnidade

O CEF 5 de Taguatinga recebeu em 2021 o Projeto Aprender ComUnidade, que foi um dos 4 projetos selecionados pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal –  FAP/DF em 2019 como proposta para desenvolver uma escola inovadora a ser implementada e posteriormente replicada em outras escolas da rede distrital de ensino.

O projeto foi trabalhado durante 2 anos em um Grupo de Trabalho envolvendo a FAP, Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal – SEEDF e Iecap – Agência de Transformação Social, tendo como principal característica a construção coletiva (cocriação) de estratégias capazes de gerar engajamento de todos os entes da Comunidade Escolar,  as estratégias de melhoria do ensino e incremento nos índices de aprendizagem.

O Projeto tem por base a criação de um território de aprendizagem comunitária na escola onde todos os entes da Comunidade Escolar (pais, estudantes, professores e comunidade geral) tenham a possibilidade de aprender e tornar a escola um centro promotor da investigação, da curiosidade, da auto-aprendizagem e da aprendizagem coletiva.

O sucesso de Aninha no concurso, é fruto de muita dedicação da jovem e do apoio que sempre recebeu de sua família e dos professores, e por isso, faz tanto sentido que projetos como Aprender ComUnidade estejam presentes nas escolas, conectando todos agentes desse ambiente.

pt_BR