Just open a Bet365 account today and make a deposit http://abonuscode.co.uk Make a deposit of £10-£200 and then enter the 10-digit bonus code

Sejus se engaja em prevenção à gravidez na adolescência

3/2/20  12:20 ATUALIZADO EM 3/2/20 ÀS 13:52

Tema que será debatido em nível nacional durante esta semana, ganha atenção especial do GDF

A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) está engajada na Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, que, com o tema “Gravidez na Adolescência: Educar para Prevenir”, será aberta oficialmente na terça-feira (4). A campanha contemplará um público vasto, do qual também fazem parte adolescentes do sistema socioeducativo, alunos da rede pública de ensino e jovens em territórios de vulnerabilidade social.

 

“Esta semana, instituída por lei federal de janeiro de 2019, marca o início de uma série de ações, envolvendo vários órgãos governamentais, para disseminar informações sobre medidas preventivas e educativas que contribuam para a redução da incidência da gravidez na adolescência”, resume o secretário de Justiça e Cidadania, Gustavo Rocha.

Problema social

Pesquisas da área de saúde apontam a gravidez na adolescência como um problema social e de saúde pública resultando em abandono escolar e de formação profissional, interrupção do projeto de vida, crise familiar, problemas de vínculo com o bebê, dentre outros.

Estudos apontam que o Brasil apresenta uma das taxas mais altas de gravidez na adolescência do planeta – 18,1%. O percentual mundial dos nascimentos de filhos de mães de 15 a 19 anos é de 10,9%. Mais de 4,2 mil jovens de dez a 19 anos engravidaram em 2018 no DF. As fontes das pesquisas são a Secretaria de Saúde (SES) e a ONU.

“Nossa meta é reduzir em 50% esses índices alarmantes até 2022”, destaca o secretário Gustavo Rocha. Do ponto de vista social, pesquisas apontam correlação da gravidez adolescente com pobreza, vulnerabilidade, desemprego, situações de violência, negligência, abuso de álcool e outras drogas.

Debate antecipa campanha

No DF, a campanha será iniciada por um debate, nesta segunda-feira (3), com o tema “Adolescência, Gravidez e Comunidade – Direito e Saúde”, na escola da Defensoria Pública do DF. Participarão conselheiros tutelares do DF, sendo o evento aberto à comunidade em geral.

Já na terça-feira (4), o lançamento da Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência será às 9h30, no auditório da Adasa (antiga Estação Rodoferroviária). A atividade reunirá especialistas, apresentação do calendário de ação com os parceiros para este ano e criação do grupo intersetorial no GDF para formação de multiplicadores de ações educativas e preventivas.

No evento, a Sejus também busca promover a reflexão do tema por meio do lançamento do documentário audiovisual Gravidez na adolescência e histórias de Vida, que retrata a realidade da gravidez precoce, os impactos nos projetos de vida de adolescentes e a superação dos desafios.

Rodas de conversa

Na quarta-feira (5) e na sexta (7), as atividades educativas e preventivas serão direcionadas também ao público masculino. Nessas datas, a programação oferecerá palestras e rodas de conversa sobre masculinidade saudável e autocuidado, a ser proferida em unidades de internação e provisórias do sistema socioeducativo do DF.

“As masculinidades saudáveis são uma pauta de um movimento global, em que os homens estão buscando se conscientizar da importância do autocuidado, saúde e equidade”, resume o fisioterapeuta Pedro Maia, palestrante especializado em saúde masculina.

Já nos das 6, 11, 19 e 20, as rodas de conversa sobre prevenção da gravidez na adolescência alcançarão o sistema socioeducativo e os centros de juventude de Ceilândia, Samambaia e da Cidade Estrutural. As ações da Sejus, que tem à frente a Subsecretaria de Políticas para Crianças e Adolescentes, continuam ao longo do ano, com participação de outras secretarias, de acordo com calendário anual de ações instituído pelo grupo intersetorial do GDF.

Carta Compromisso

Em 2019, a Sejus instituiu a Carta Compromisso com o objetivo de elaborar ações permanentes e tornar o tema da prevenção à gravidez na adolescência alvo de políticas públicas transversais. São signatários da carta as secretarias de Educação, de Juventude, da Saúde e a Sejus, por meio das subsecretarias de Direitos Humanos, do Sistema Socioeducativo e de Enfrentamento às Drogas.

Ainda ao longo de 2019, foram realizadas 20 rodas de conversa itinerantes, contemplando cerca de 750 jovens, entre alunos de escolas públicas e adolescentes em diversos territórios do DF e também adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas.

Também no ano passado, foi instituída portaria com a Secretaria de Saúde (SES) e em parceria com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA/ONU) para o desenvolvimento do Selo Chega Mais, criado com a meta de qualificar a melhoria dos serviços de saúde para adolescentes, com ações preventivas sobre gravidez.

A Sejus aderiu, ainda, ao Selo Social do DF, que, criado com o objetivo de promover o desenvolvimento local por meio de projetos, deverá certificar a Campanha Permanente de Prevenção à Gravidez na Adolescência, desenvolvida pela secretaria.

 

Fonte: Agência Brasília